15 de março de 2018

Tarte de feijão

Uma agradável tarte de feijão branco cozido. Um recheio compacto e suave, com paladar delicado. Uma receita mais equilibrada do que as muitas que, habitualmente, levam mais feijão e menos ovos. 

1 embalagem de massa folhada para tarte           
500g de açúcar
2,5dl de água           
6 Ovos           
6 Gemas de ovo           
120g de puré de feijão branco
50g de amêndoa moída (sem casca)
1 colher de chá de canela em pó           
Açúcar em pó q.b.


Aqueça o forno a 180°C.

Faça um puré de feijão branco cozido. Se necessário passe-o por uma rede.
À parte, junte as gemas e os ovos inteiros e bata ligeiramente. Passe os ovos por uma rede.
Misture bem o puré de feijão com os ovos, com a amêndoa moída e a canela. Reserve.
Junte o açúcar com a água e leve ao lume para ferver até fazer ponto assoprado (117°C). Deixe arrefecer um pouco.

Depois de arrefecer um pouco, junte a calda, em fio, ao creme reservado, sem parar de mexer.

Forre uma forma de tarte de 26-28cm, de fundo amovível, com a massa folhada (mantenha o papel vegetal em que vem embrulhada). Pique a massa com um garfo e verta o creme.


Leve ao forno por 10 minutos findos os quais deve polvilhar generosamente a tarte com açúcar em pó. Leve novamente ao forno por mais 20 minutos.


3 de março de 2018

Talharim com camarão



250g de Talharim fresco (1 embalagem)
500g de camarão descascado deixando a cabeça
1 cebola pequena picada
3 dentes de alho picados
1 colher de sopa de manteiga
1 fio de azeite virgem extra
4 tomates secos picados muito finamente
1dl de vinho branco
1dl natas frescas
Piripiri, sal e sumo de limão q.b.
Folhas de manjericão ou pesto fresco a gosto.

Utilize uma frigideira grande onde irá fazer toda a confecção do prato. Comece por saltear na manteiga o camarão previamente descascado, ao qual se deixou ficar a cabeça. Tempere com piripiri e sal a gosto. Reserve e separe as cabeças.

Pise as cabeças dos camarões com um pouco de água a fim de obter os sucos libertados. Coe e reserve o liquido obtido.

Na mesma frigideira, com a manteiga que sobrou de saltear os camarões e à qual acrescentou um fio de azeite, faça um fundo com a cebola e o alho picados até estarem cozidos sem alourarem.  Refresque com o vinho branco e deixe evaporar um pouco. Junte os tomates secos muito bem picados e deixe apurar. Acrescente agora os sucos das cabeças dos camarões, um pouco de sumo de limão e, se necessário um pouco mais de água. Deixe fervilhar para apurar rectificando temperos. Depois de apurar vai juntar as natas e os camarões assegurando-se que tem o picante e o sal a seu gosto. Apure um pouco mais. Deve ficar com quantidade de molho suficiente para o talharim.

Entretanto leve o talharim ao lume, para cozer em água e sal, de acordo com as instruções (normalmente 4 a 5 minutos a ferver em lume médio). Depois de cozido escorra bem a água e junte o talharim ao molho que fez na frigideira. Envolva muito bem e sirva em prato largo aquecido.


Enfeite com pedaços de folhas de manjericão cortados à mão ou, em alternativa, com alguns fios de pesto fresco.

18 de fevereiro de 2018

Bolo Real de Gila

Uma simples e excelente receita de Maria Antónia Gomes na sua "Cozinha Tradicional do Alentejo". Dá um guloso bolo, denso e húmido, de trato mais simples que a outra receita de Bolo Real que também por aqui pode encontrar.


12 gemas
5 claras
500g de açúcar
500g de amêndoa pelada e moída
250g de compota de gila
1 colher de chá de canela em pó
raspa do vidrado de 1 limão
açúcar em pó


Prepare uma forma sem buraco de 25 cm, forre o fundo com papel vegetal, unte muito bem com margarina e polvilhe com farinha. Reserve.
Aqueça o forno a 160°C.

Bata os ovos com o açúcar. Junte a amêndoa moída, a compota de gila, a canela e a raspa de limão. Misture tudo muito bem, coloque na forma e leve ao forno pré aquecido por 40 a 45 minutos. Faça o teste do palito tendo em atenção que o bolo fica húmido.
Estando pronto, retire do forno e aguarde 5 minutos antes de desenformar. Depois de frio polvilhe com açúcar em pó.

18 de janeiro de 2018

Bolo Mármore

Este é o bolo da escapatória. Quando quero ter um bolo para o fim de semana e não estou para complicar nem pensar muito sobre a opção a tomar, faço bolo mármore; é simples, bom e todos gostam.



250g de farinha
250g de açúcar
250g de manteiga + 1 colher de sobremesa
100g de chocolate negro de culinária
2dl de leite + 3 colheres de sopa
3 gemas
3 claras
2 colheres de chá de fermento em pó
Raspa da casca de uma laranja (só para quem gosta!)

Untar com margarina e polvilhar com farinha uma forma de buraco.

Batem-se as gemas com o açúcar e depois junta-se a manteiga amolecida. Bate-se tudo muito bem. Juntam-se alternadamente e aos poucos o leite e a farinha peneirada com o fermento, batendo bem até fazer bolhas de ar. Nesta altura pode optar por juntar a raspa da casca de uma laranja. 

Batem-se as claras em castelo e envolvem-se na massa sem bater.

Retira-se uma porção (mais ou menos metade) de massa para uma taça a qual será (mal) misturada com o chocolate derretido, sem bater.

O chocolate deve ser previamente derretido em banho-maria, ou no micro-ondas, com 3 colheres de sopa de leite e uma colher de sobremesa de manteiga.

Deita-se a massa numa forma de buraco em camadas alternadas, devendo a primeira camada ser de massa sem chocolate. No fim pode dar-se uma passagem funda com um garfo para que as massas fiquem misturada.


Vai ao forno que deve ser previamente aquecido a 180ºC. Depois de meter o bolo no forno regular para 160ºC. Demora 30 minutos.

Depois de frio polvilhe com açúcar em pó.

Fried eggs by Michele Baldini





15 de janeiro de 2018

Cheesecake com ovos moles



Base
175g de bolacha Maria
75g de manteiga sem sal amolecida
50g de chocolate meio amargo partido grosseiramente em pedaços pequenos
50g de chocolate ao leite partido grosseiramente em pedaços pequenos

Recheio
1 lata de leite condensado
6 folhas de gelatina
200ml de natas
250g de queijo Mascarpone
sumo de limão q.b.

Para a cobertura
ovos moles feitos com:
3 gemas
3 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de água

Parta grosseiramente as bolachas e misture bem com a manteiga. Acrescente os pedaços de chocolate e envolva tudo. Com esta mistura faça uma base num aro alto de 24cm colocado sobre um prato de tarte e reserve no frio.

Faça os ovos moles e reserve.

Demolhe a gelatina. Escorra e derreta-a, em lume brando, no sumo de limão e, se necessário, um pouco de água. Deixe arrefecer.

Bata as natas firmes e acrescente o Mascarpone e o leite condensado batendo sempre. Incorpore a gelatina e misture muito bem.

Enforme, o creme obtido, no aro e leve ao frio pelo menos 4 horas ou, de preferência, de um dia para o outro.

Na hora de servir retire do frio, desenforme e cubra com os ovos moles. Enfeite a gosto.


19 de novembro de 2017

Folar à moda de Chaves

Para fazer na Bimby  (com base na receita de Marta Brito)

Uma bela receita, com uma massa muito saborosa e fácil de fazer.


Para a massa
50g azeite
120g banha
20g fermento de padeiro fresco
4 ovos
550g de farinha
1 colher de chá de sal
100g de água


Para o recheio
200g bacon
100g presunto                                               
170g chouriço de carne
100g salpicão
(1/2 farinheira cozida)

Pode variar nas carnes a gosto. Também pode aproveitar sobras de carne. Eu acrescentei meia farinheira cozida, desfiada, e parece-me que o folar só ganhou com isso.


Colocar no copo a água, a banha, o azeite, o sal e o fermento.

Programar 1,5’  V.2  37°C

Juntar 4 ovos e programar  1’ V.4

Juntar a farinha e programar 6’ V. Espiga

Retirar a massa cobrir com película e deixar levedar por ± 30’

As carnes poder ser desfiadas no copo na V. 4


Estender a massa e rechear dobrando 4 vezes – esquerda, direita, cima, baixo. Esperar 20’. Levar ao forno pincelada com ovo por 30 a 35’ a 180°C

25 de setembro de 2017

Set Table



Dvora Morag
Set Table / Conjunto de Mesa, 2017


Candelabro, 36 copos de água, 36 copos de vinho, 36 pratos rasos, 36 pratos de sopa, 36 garfos, 36 colheres de sopa, 36 colheres de sobremesa, 4 jarros de água, 2 jarros de vinho, 4 travessas e 5 taças, envolvidos em serapilheira e cosidos à mão e suspensos por cabos, instalação eléctrica.



Centro de Arte Contemporânea Graça Morais.